30.4.18

Vais ser uma canção

vais ser uma canção,
com a dose certa de malabarismo sonoro dos pássaros que acolhem a manhã,...

talvez a mesma melodia que
desprendo todos os dias dos
pedaços de vida,
que desincrusto das peles que vou vestindo à vez,
enquanto me dispo dos passados alienados que me pintam como pessoa,...

e se fores a canção que quero que sejas,
o mundo não será mais pintado a tons ocres de inviabilidade


Hiroshima, Mon Amour (Alain Resnais)

Sem comentários:

Etiquetas

Poesia (891) Vida (579) Surreal (326) poemas (254) Pensamentos (201) Introspecção (186) Homem (180) Textos (105) escrita (93) poema (85) Sem Título (84) Portugal (79) Sonhos (77) abstrato (76) prosa (71) Contos (60) imagem (60) youtube (57) Reflexão (56) musica (56) Sórdido (51) Um dia gostava de saber escrever assim (51) Literatura (50) Tempo (50) introspeção (50) video (49) Amor (46) poesias (46) Escrever (43) Política (39) autores (38) Absurdo (37) Passado (37) Ironia (34) tristeza (34) pensar (31) foto (28) imagens (27) pensamento (26) Humor (25) Recordações (25) Fantasia (24) História (23) introspecao (22) Morte (20) gif (19) Desilusão (18) rotina (18) Ficção (17) Memória (17) desespero (17) texto (17) Regresso (15) cinema (14) Música (13) lisboa (13) solidão (13) Dedicatória (12) Pelo Menos (12) Texto # (12) quotidiano (12) Menina perfeita (11) dúvida (11) Comiseração (10) Rimas (10) escritores (10) fotos (10) ideias (10) nonsense (10) 'Depois de almoço' (9) existência (9) giphy (9) Mundo (8) Vídeos (8) blogue (8) escritaautomática (8) irreal (8) presente (8) Divagações (7) Inatingivel (7) Suspense (7) ausência (7) coisas estúpidas (7) real (7) sentimentos (7) sombrio (7) videos (7) Discurso de (6) Diálogo (6) curtas (6) desnorte (6) fotografia (6) futuro (6) gatos (6) ilusão (6) noite (6) ser (6) sonhar (6) Homenagem (5) Natal (5) ciidade (5) comédia (5) datas (5) depressão (5) do nada (5) dor (5) espaço (5) luxos importados (5) paginas partilhadas (5) politica (5) qualquer coisa (5) recordar (5) relacionamentos (5) sonho (5) trabalho (5) vídeo (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) Dia Mundial da Poesia (4) Viagens (4) amargo (4) animais (4) belo (4) concursos (4) imaginário (4) interrogação (4) intervenção (4) língua (4) meditação (4) razão (4) reflexao (4) subjectividade (4) sujeito (4) surrealista (4) terra (4) Gótico (3) Religião (3) Vício (3) adeus (3) aniversário (3) autor (3) beleza (3) breve (3) cidade (3) colaborações (3) conformismo (3) conhecer (3) conversas (3) crossover (3) curtos (3) céu (3) dia (3) fim (3) linguagem (3) livros (3) medo (3) mulher (3) obscuro (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) prosa poética (3) páginas partilhadas (3) saudade (3) sem sentido (3) social (3) tarde (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Desejos (2) Fernando pessoa (2) Poemas de enternecer (2) Poemas música (2) angustia (2) aniversario (2) ao calhas (2) arte (2) auto-conhecimento (2) conto (2) decepção (2) desconexo (2) descrição (2) desejo (2) destino (2) evento (2) fado (2) falhanço (2) família (2) filmes (2) hate myself (2) ideia (2) indecisão (2) instrospeção (2) interior (2) jogos de palavras (2) lamento (2) lamentos (2) leituras (2) liberdade (2) luta (2) manhã (2) mensagem (2) monólogo (2) outono (2) parvoíces (2) perda (2) pessoal (2) poetas (2) psicose (2) revolta (2) ridículo (2) sem tema (2) sentimento (2) sexo (2) silêncio (2) subjetividade (2) viver (2) Africa (1) Denúncia (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poesia abstrato (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Teatro (1) Tumblr (1) Universo (1) acrescenta um ponto ao conto (1) alegria (1) alienação (1) animado (1) armagedão (1) artistas (1) atualidade (1) blackadder (1) brincadeira (1) campo (1) canto (1) cartas (1) coletâneas (1) comida (1) condição humana (1) conjetura (1) contribuições (1) crónica (1) curto (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenho (1) despedida (1) dialogo (1) discriminação (1) discurso (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) erotismo (1) escrita criativa (1) espera (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) eu (1) falar (1) familia (1) fatalismo (1) felicidade (1) festa (1) filosofia (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) guerra (1) haiku (1) hesitações (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) ilusao (1) indecente (1) infancia (1) iniciativas (1) insulto (1) inutil (1) inverno (1) jardim (1) jogo de palavras (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) lembrança (1) lengalenga (1) letras (1) lingua (1) link (1) links (1) livre (1) loucura (1) mario viegas (1) memórias (1) metáforas (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nomes (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) once upon a time (1) outono quente (1) participações (1) passeio (1) pensáveis (1) pessoas (1) pictures (1) pobreza (1) português (1) praia (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) rap (1) realidade (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) ridiculo (1) risco (1) riso (1) ruído (1) sem titulo (1) sentidos (1) simples (1) sociedade (1) som (1) statement (1) subjetivo (1) televisão (1) tweet (1) twitter (1) vazio (1) velhice (1) versos (1) vida escrita (1) vidasubjectividade (1) violência (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1)