2024/05/30

I would go out tonight, but i haven't got a stitch to wear....

 


....quem se some

 A calma mede-se com inspirações, expirações. E há um chá que arrefece, pausadamente, com um serpenteio que se ergue na penumbra onde escolhemos estar. Um livro abre-se, com a força do vento de entardecer que surge pela janela entreaberta. Não pedi para estar só. Apenas aconteceu. Tal como os olhos só me doem se eu quiser. Ninguém me manda chorar. Choro porque quero, ou melhor porque não consigo evitar. E, lá longe, sei que quem se lembra de mim sabe isto. Neste momento olho para uma parede. É branca, cheia de irregularidades, manchas progressivamente escurecidas que se calhar sempre aqui estiveram. Tenho de ir a algum lado. Não necessariamente porque preciso. Mas porque tem de ser. Só que por enquanto estou melhor aqui. As mãos doem-me. O peito aperta-me como se não gostasse de mim, e quisesse prová-lo de dentro para fora. Tenho de sair daqui. A porta está trancada. Alguém me quer assim. Insignificante, escondido de tudo. Volto para o canto irregular de uma divisão escurecida. O coração que sinto não é meu. Quer saltar de dentro de um corpo que me escapa. 

                                                                       Tirado daqui

2024/05/29

Enseada

mas eu amei-te,
o ódio seguido do
rádio baixinho,
com aquela música de
olhar para o relógio,
e um gato que nos observa com
uma adoração tamanha,...

eu amei-te,
e disseste que talvez,
na poesia estavas melhor,
 tapada com letras,
e a discutir interrupções,
de vontade,
de silêncio,
de amor,....

amei-te mesmo
com a força que me resta,....

e há lua,
a que nossa foi
até perder,
o teu olhar

                                                                               Tirado daqui

...valor dos desejos

 Perguntava-se a si própria pelo valor dos desejos,

Da liberdade,

Dos olhos fechados para fugir ao terror,...


Virar páginas,

Em contextos diferentes que não os da leitura,

Eram pormenores escabrosos que não adotava,...


Tinha-se tornado a mulher ideal da previsibilidade,

E adorava-se assim,

Em cada pedaço do que se descobria a si própria,...


E não estava mesmo,

Nem que os dias começassem a nascer de pernas para o ar,

Disposta a mudar

                                                                            Tirado daqui

Casal em Praga, ex-Checoslováquia, 1971, 

de: Charles Harbutt 

técnica: Gelatin silver print

2024/05/28

...e o sonho prossegue

 Escrevo-o no quadro escolar,

De olhos fechados com força,...


Sinto o arrepio na pele que todos,

Os precavidos de sonhos da minha idade,

Adoravam e com certeza guardaram pelo caminho enviezado da vida,...


Sou o supra sumo de nada,

A sapiência em pessoa,

Todos me aplaudem e o sonho prossegue,

Entre cálculos dificilimos de somas de laranjas,

E uma lição de português emudecida,...


Acordo de sorriso timido,

E a certeza de que serei jovem,

Se apagar e fizer o pó de giz esvoaçar de novo

                                                                              Tirado daqui

Meeresstille, de Christine Wu

2024/05/27

sexo despreocupado, e com sangue

estou interessado em vários prismas. Na desordem. Um tempo que se atropela, onde cabem beijos sem sentido, agressões bárbaras a que se segue um sexo despreocupado, e com sangue. Parece-me o luto dos desiludidos. O interesse pela voracidade da palavra silenciada, em detrimento da ação inconsequente. Interesso-me pelo pânico. E tudo o que nele cabe como saco sem fundo, e onde se escreve pela vergonha de ainda acreditar no poder da palavra falada. São todas facetas que alumiam, De forma ténue, entristecida, mas trazem luz a qualquer assunto. Só talvez não à despedida. Essa dorme abraçada à escuridão

                                                                            Tirado daqui

2024/05/26

...primado da pessoa humana

 Foi decidido que não lhe faltaria nada,

Em circunstância alguma seria a mulher que os outros apontassem,...


Que entraria nos círculos de poder despreparada,

De roupa insultuosa,

E principalmente sem uma escola iluminista,...


Só quem fala como se estivesse dois séculos e meio atrasado no tempo,

Com um fervor pelo primado da pessoa humana,

E em consagração das liberdades,

Se faz notar,...


E ela estava talhada para grandes coisas,

Todos o sentiam,

Faltava apenas prová-lo à luz do dia

                                                                             Tirado daqui

Pablo Picasso

Femme à la Montre, 1932

2024/05/25

...com a polpa a escorrer

 O encontro não tinha local marcado. Tinhamo-nos proposto a conquistar o espaço entre o desejo e a irresponsabilidade, e isso poderia ser feito em qualquer lugar. Havia chuva. Muita chuva que caía a um ritmo desconcertante, tamborilando no metálico daquele mundo que tu e eu renegariamos, à primeira oportunidade.  As ruas estavam vazias, com o vento a tomar as vezes do fantasmagorico das pessoas.  Saimos de casa mais ou menos à mesma hora. O sol queria, sem poder, furar o concentrado das nuvens que cinzelavam aquela parcela do real.  Do meu lado foi um percurso calmo. Ponderado. Sentia que não havia pressa, porque provavelmente, quando partilhassemos o mesmo canto do espaço, o tempo passaria a ser nosso. Coisa que não tinha acontecido até aí.  E havia tanta coisa que sentia ter de captar. Para te descrever em frases longas, com a polpa a escorrer. Cheia de silêncios bem posicionados, e amor sorrateiro, tímido em mostrar-se. Chegado ao local combinado, senti que já nos sentiamos um ao outro. Um bebado sem destino passou mesmo ali perto, com a sua própria maneira de tentar segurar o mundo. E pareceu dar-me a paz que precisava para cruzar o meu olhar com o teu. E foi bom. Sentir finalmente que era no não verbal, na segurança quente e dissecada do toque, do sorriso, da virtude profunda de um mundo partilhado, que me sentia bem. Contigo...

                                                                           Tirado daqui

undo (1994) 

Realizador: Shunji Iwai

2024/05/24

Passado iludido

 Nenhuma história precisaria de ser repetida,

A das escolas,

Em que se perderam palavras para ganhar ideias,

A do caminho desejado,

Feito a pé e com a consciência focada no destino,...


Histórias sem sentido,

Com personagens alteradas e de voz permeável,

E que com jeito,

E vontade de errar,

Caberiam todas no mesmo livro,...


Por isso a luz será uma,

Única e ilusória,

Se quisermos recordar as falhas de um passado iludido,

Como era este,

Em que havia necessidade de se apelar à ficção,

Para que se descendesse de qualquer sítio onde tenha sido o nosso refúgio 

                           Tirado daqui

Edvard Munch

Separação II (1896)

2024/05/23

Poder de placebo


                            Tirado daqui

Before sunset (2004)


Pergunta-me pela lisura de pele,
Por uma roupa que desapareceu na noite,...

Pergunta-me se salto de dois em dois versos,
Até que o dia regresse como fantasma,
E a vontade,
O que sempre te digo como vontade,
Voltará como criança inocente,....

E a ponto de parecer um sonho,
Reagrupemos a juventude do desalento 

2024/05/22

Joyeux centenaire Monsieur Aznavour....

 


Como uma vela esquecida...

 Esta guerra era diferente do habitual,

O tempo não era medido lado a lado com o espaço,

Mas sim da forma como acordava as pessoas do conformismo,...


As ladeava no desespero,

Apoiava com flores e manutenção de tristeza nos momentos menos bons,.. 


E valia tudo com o gosto metálico das bombas,

Dos lideres sem rosto que brilhavam pela morte nos relatos da rádio,

A cada noite que caía,...


Uma guerra que,

Se calhar,

Apenas se entendia bem em versos soltos e sem custo,

De poesias de autores anónimos,...


Que a odiavam tanto mas tanto,

A ponto de porfiar pelo intelecto,

Para fazer com que ela se esgotasse a si própria,

Como uma vela esquecida numa casa abandonada

                                                                             Tirado daqui

Jean-Michel Basquiat

No Hay Crimen Executado em 1983

Etiquetas

Poesia (1349) Vida (1238) poemas (672) Surreal (579) poema (524) pensar (509) escrita (360) poesias (333) Pensamentos (215) Escrever (211) ser (211) Homem (199) Introspecção (197) abstrato (191) prosa (158) Textos (118) introspeção (108) autores (106) Reflexão (99) imagem (92) Portugal (89) Um dia gostava de saber escrever assim (86) youtube (86) Passado (84) Sem Título (84) musica (84) Amor (78) Sonhos (78) Tempo (74) Literatura (69) Absurdo (62) Contos (61) video (58) Política (51) Sórdido (51) texto (45) tristeza (44) pensamento (42) rotina (41) foto (40) História (39) imagens (38) razão (38) real (37) Ironia (36) Música (36) cinema (33) gif (33) introspecao (32) Fantasia (31) recordar (31) Ficção (30) Desilusão (28) Recordações (28) Humor (25) Memória (24) Dedicatória (22) desespero (22) fotos (22) refletir (22) Morte (21) lisboa (21) presente (21) pessoal (20) Divagações (19) existência (19) Comiseração (18) Desejos (18) dúvida (18) reflexao (17) viver (17) Inatingivel (16) razao (16) saudade (16) Regresso (15) irreal (15) quotidiano (15) videos (15) Natal (14) Tumblr (14) Viagens (14) abstração (14) ideias (14) solidão (14) sonho (14) Religião (13) Vídeos (13) sentir (13) Pelo Menos (12) Rimas (12) Texto # (12) autor (12) escritores (12) mulher (12) politica (12) sonhar (12) sujeito (12) Menina perfeita (11) cidade (11) desejo (11) giphy (11) noite (11) nonsense (11) aniversário (10) arte (10) blogue (10) dissertar (10) escritaautomática (10) pessoas (10) sentimentos (10) vídeo (10) 'Depois de almoço' (9) fotografia (9) ilusão (9) sombrio (9) surrealista (9) Mundo (8) ausência (8) curtas (8) futuro (8) livros (8) poetas (8) prosa poética (8) racional (8) relacionamentos (8) Dia Mundial da Poesia (7) Suspense (7) blog (7) coisas estúpidas (7) dia (7) familia (7) filmes (7) filosofia (7) social (7) subjetivo (7) Discurso de (6) Diálogo (6) Homenagem (6) aniversario (6) datas (6) depressão (6) desnorte (6) dor (6) filosofar (6) gatos (6) lembrança (6) loucura (6) medo (6) qualquer coisa (6) trabalho (6) Inatingiveis (5) adeus (5) belo (5) ciidade (5) comédia (5) concursos (5) conhecer (5) corpo (5) curto (5) curtos (5) descrição (5) do nada (5) espaço (5) família (5) festas (5) ideia (5) imaginário (5) linguagem (5) luxos importados (5) língua (5) meditação (5) paginas partilhadas (5) strand of oaks (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) amargo (4) animais (4) auto-conhecimento (4) breve (4) condição humana (4) considerar (4) conto (4) crossover (4) espera (4) eu (4) festa (4) ilusao (4) interrogação (4) intervenção (4) irracional (4) poetar (4) realidade (4) sociedade (4) subjectividade (4) tarde (4) terra (4) viagem (4) violência (4) Gótico (3) Poemas de enternecer (3) Porsia (3) Vício (3) artistas (3) beleza (3) campo (3) colaborações (3) conformismo (3) conversas (3) céu (3) destino (3) erotismo (3) evento (3) existir (3) falar (3) fim (3) imaginar (3) internet (3) lamento (3) lamentos (3) ler (3) liberdade (3) link (3) manhã (3) mensagem (3) obscuro (3) outono (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) páginas partilhadas (3) religiao (3) riso (3) sem sentido (3) sentimento (3) silêncio (3) umdiagostavadesaberescreverassim (3) vida pensar (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Blog inatingiveis (2) Denúncia (2) Fernando pessoa (2) Livro (2) Poemas música (2) Poesia abstrato (2) alegria (2) amizade (2) angustia (2) animado (2) ano (2) ao calhas (2) armagedão (2) atualidade (2) certeza (2) decepção (2) desconexo (2) diamundialdapoesia (2) discurso (2) duvida (2) efeméride (2) ela (2) fado (2) falhanço (2) felicidade (2) frase (2) frases (2) guerra (2) hate myself (2) hesitações (2) indecisão (2) individualidade (2) infancia (2) instrospeção (2) insulto (2) interior (2) jogo de palavras (2) jogos de palavras (2) l (2) leituras (2) lembrar (2) lingua (2) luta (2) luz (2) monólogo (2) nomes (2) parvoíces (2) passeio (2) pensar surreal (2) perda (2) personalidade (2) pessoa (2) pictures (2) pintura (2) prosas (2) prémios (2) psicose (2) questionar (2) revolta (2) ridículo (2) rural (2) saudades (2) sem tema (2) sensibilidade (2) sentidos (2) sexo (2) simples (2) soturno (2) spotifiy (2) statement (2) subjetividade (2) tradicional (2) versos (2) vivência (2) Africa (1) Anuncio (1) BD (1) Ferias (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poemws (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Poesiaa (1) Poeta (1) Prosa cinema (1) Prosa mulher (1) Teatro (1) Universo (1) abstracao (1) acomodações do dia (1) acrescenta um ponto ao conto (1) admissão (1) agir (1) alienação (1) anseio (1) ansiedade (1) antigo (1) antiguidade (1) análise (1) anúncio (1) arrependimento (1) assunto (1) ausencia (1) auto (1) blackadder (1) brincadeira (1) canto (1) cartas (1) casa (1) casal (1) celebração (1) choro (1) citações (1) coletâneas (1) comida (1) companhia (1) conceito (1) conjetura (1) contribuições (1) cruel (1) crónica (1) culpa (1) cultura (1) curta (1) cálculos (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenhar (1) desenho (1) despedida (1) dia da mulher (1) dialogo (1) discriminação (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) eletricidade (1) embed (1) escreva (1) escrita criativa (1) escuridão (1) estetica (1) estrangeiro (1) estranho (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) exercício (1) existencial (1) explicar (1) fatalismo (1) feelings (1) filme (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) futebol (1) gifs (1) gostar (1) haiku (1) haver (1) horas (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) idade (1) imagem ser (1) imprensa (1) inatingível (1) indecente (1) infantil (1) inglês (1) iniciativas (1) internacional (1) inutil (1) inverno (1) jardim (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) leitura (1) lengalenga (1) letras (1) links (1) livre (1) lugar (1) línguas (1) mario viegas (1) melancolia (1) memórias (1) metáforas (1) mistério (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nobel (1) noite vida (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) obras (1) once upon a time (1) outono quente (1) pais (1) palavra (1) palavras (1) participações (1) partir (1) paz (1) pensar vida (1) penssr (1) pensáveis (1) pequeno (1) percepção (1) perceção (1) pobreza (1) português (1) post (1) praia (1) precisar (1) problema (1) procura (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) raiva (1) rap (1) realismo (1) recear (1) recordação (1) redes sociais (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) resposta (1) reveillon (1) ridiculo (1) risco (1) ruído (1) segredos (1) sem titulo (1) sensual (1) ser pensar (1) silencio (1) som (1) surreal pensar (1) surrreal (1) sátira (1) sóporquesim (1) televisão (1) texto poético (1) tv (1) tweet (1) twitter (1) urgência (1) vazio (1) velhice (1) ver (1) verbo (1) verbos (1) viajar (1) vida escrita (1) vida ser (1) vidas (1) vidasubjectividade (1) visão (1) voraz (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1) ódio (1)