21.10.16

No curso

Para so uma coisa haver em mim
Por, talvez pela sincera diminuicao
Dos dias que doem. ..

Haver roida alegria ; haver sonho
De passear pela célula do Alegre,
Do vento que emaranha pelas defesas baixas do ser...

Enquanto caminhamos por aquela calcada de todos os dias,
A ouvir o rir inocente,
O sono irrequieto de querer ser e chegar ao amanha das coisas boas que ficam,
Focadas no eterno correr para lado nenhum.

9.10.16

17h e quase 26

Desceu as escadas aos saltinhos. Escorregou na quinta, levantou-se à sétima, e quando saía do prédio, já equilibrado, sentiu os olhos a furarem com os raios de sol. Segunda-feira de manhã, com um cheiro a enxofre no ar. Virou a esquina, entrou na tasca de todos os dias. Nem se sentou, enquanto molhava os lábios naquela água castanha useira e vezeira. Voltou à rua, e falou pela primeira vez em mais que muitas horas. Disse bom dia, e caiu morto. Seria assim a causa ideal para deixar o mundo sem nunca cá ter estado.

Etiquetas

Poesia (891) Vida (579) Surreal (326) poemas (254) Pensamentos (201) Introspecção (186) Homem (180) Textos (105) escrita (93) poema (85) Sem Título (84) Portugal (79) Sonhos (77) abstrato (76) prosa (71) Contos (60) imagem (60) youtube (57) Reflexão (56) musica (56) Sórdido (51) Um dia gostava de saber escrever assim (51) Literatura (50) Tempo (50) introspeção (50) video (49) Amor (46) poesias (46) Escrever (43) Política (39) autores (38) Absurdo (37) Passado (37) Ironia (34) tristeza (34) pensar (31) foto (28) imagens (27) pensamento (26) Humor (25) Recordações (25) Fantasia (24) História (23) introspecao (22) Morte (20) gif (19) Desilusão (18) rotina (18) Ficção (17) Memória (17) desespero (17) texto (17) Regresso (15) cinema (14) Música (13) lisboa (13) solidão (13) Dedicatória (12) Pelo Menos (12) Texto # (12) quotidiano (12) Menina perfeita (11) dúvida (11) Comiseração (10) Rimas (10) escritores (10) fotos (10) ideias (10) nonsense (10) 'Depois de almoço' (9) existência (9) giphy (9) Mundo (8) Vídeos (8) blogue (8) escritaautomática (8) irreal (8) presente (8) Divagações (7) Inatingivel (7) Suspense (7) ausência (7) coisas estúpidas (7) real (7) sentimentos (7) sombrio (7) videos (7) Discurso de (6) Diálogo (6) curtas (6) desnorte (6) fotografia (6) futuro (6) gatos (6) ilusão (6) noite (6) ser (6) sonhar (6) Homenagem (5) Natal (5) ciidade (5) comédia (5) datas (5) depressão (5) do nada (5) dor (5) espaço (5) luxos importados (5) paginas partilhadas (5) politica (5) qualquer coisa (5) recordar (5) relacionamentos (5) sonho (5) trabalho (5) vídeo (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) Dia Mundial da Poesia (4) Viagens (4) amargo (4) animais (4) belo (4) concursos (4) imaginário (4) interrogação (4) intervenção (4) língua (4) meditação (4) razão (4) reflexao (4) subjectividade (4) sujeito (4) surrealista (4) terra (4) Gótico (3) Religião (3) Vício (3) adeus (3) aniversário (3) autor (3) beleza (3) breve (3) cidade (3) colaborações (3) conformismo (3) conhecer (3) conversas (3) crossover (3) curtos (3) céu (3) dia (3) fim (3) linguagem (3) livros (3) medo (3) mulher (3) obscuro (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) prosa poética (3) páginas partilhadas (3) saudade (3) sem sentido (3) social (3) tarde (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Desejos (2) Fernando pessoa (2) Poemas de enternecer (2) Poemas música (2) angustia (2) aniversario (2) ao calhas (2) arte (2) auto-conhecimento (2) conto (2) decepção (2) desconexo (2) descrição (2) desejo (2) destino (2) evento (2) fado (2) falhanço (2) família (2) filmes (2) hate myself (2) ideia (2) indecisão (2) instrospeção (2) interior (2) jogos de palavras (2) lamento (2) lamentos (2) leituras (2) liberdade (2) luta (2) manhã (2) mensagem (2) monólogo (2) outono (2) parvoíces (2) perda (2) pessoal (2) poetas (2) psicose (2) revolta (2) ridículo (2) sem tema (2) sentimento (2) sexo (2) silêncio (2) subjetividade (2) viver (2) Africa (1) Denúncia (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poesia abstrato (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Teatro (1) Tumblr (1) Universo (1) acrescenta um ponto ao conto (1) alegria (1) alienação (1) animado (1) armagedão (1) artistas (1) atualidade (1) blackadder (1) brincadeira (1) campo (1) canto (1) cartas (1) coletâneas (1) comida (1) condição humana (1) conjetura (1) contribuições (1) crónica (1) curto (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenho (1) despedida (1) dialogo (1) discriminação (1) discurso (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) erotismo (1) escrita criativa (1) espera (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) eu (1) falar (1) familia (1) fatalismo (1) felicidade (1) festa (1) filosofia (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) guerra (1) haiku (1) hesitações (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) ilusao (1) indecente (1) infancia (1) iniciativas (1) insulto (1) inutil (1) inverno (1) jardim (1) jogo de palavras (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) lembrança (1) lengalenga (1) letras (1) lingua (1) link (1) links (1) livre (1) loucura (1) mario viegas (1) memórias (1) metáforas (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nomes (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) once upon a time (1) outono quente (1) participações (1) passeio (1) pensáveis (1) pessoas (1) pictures (1) pobreza (1) português (1) praia (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) rap (1) realidade (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) ridiculo (1) risco (1) riso (1) ruído (1) sem titulo (1) sentidos (1) simples (1) sociedade (1) som (1) statement (1) subjetivo (1) televisão (1) tweet (1) twitter (1) vazio (1) velhice (1) versos (1) vida escrita (1) vidasubjectividade (1) violência (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1)