terça-feira, junho 30, 2020

Pavio curto

Maria é a mulher que está em todas as recusas,
Em qualquer sinónimo,
Perfaz a missão solitária de se escrever para fora de todos os cenários,
Das rodas vivas de insinuação,...

Prefere tanto o alumiar ténue,
Quase moribundo,
Dos pensamentos inusitados,
Dos suspiros descontrolados ao passar dos senhores do passo solto,
Do corpo insinuante,
E com risos onde cabem tantos desvarios que até o pensar teme,...

Mas Maria nega teorias do pavio curto,
Vai ficar em lume brando até ao dia em que vier o vento,
Dos problemas resolvidos



segunda-feira, junho 29, 2020

Um dia gostava de saber escrever assim

Papel amarrotado desse chá que tomaste
na tarde de qual dia, ou o copo de vidro
depressa transformado na total transparência,
não é que inexistente, mas de mínima espessura
sobre o cais deste porto onde ninguém aporta,
não o papel rasgado, não o desfeito em fogo,
incolor, inodoro, antraz ignoto, anuro,
coisa que sim, que é, mas já não o que foi,
vazia intensidade, inútil excrescência
da vida tilintante
_____________________– eis o que tenho agora
quando o dia amanhece e cai no saco roto
da débil complacência com que já não me vejo

Autor : Pedro Tamen

Formas de inocência

Apressadamente se colocou a perceber a tragédia das palavras,
Como tanto homem já escorreu pelo meio das mesmas mãos,
E nas crianças permanece o ponto de compromisso,
Do silêncio,
De quantas formas a inocência toma quando é desprezada




domingo, junho 28, 2020

Pauta enegrecida



ao longo de mim, 
todas as pessoas depositarão
um contributo de hesitação,
de condições infirmadas,
com destino à resolução de problemas,
sem nome,
e de pessoas sem coração,...

do meu caminho,
não sei eu,
saberás tu se do teu perfil
brotar o sangue necessário,
por coagular,
e que me resolva a
confabulação que necessito,
para sair à rua,
e ignorar todos os caminhos
a não ser o que nem cores tem,
mas tem a música certa,
numa pauta enegrecida