23.4.18

resumo recôndito

desmentem-se as pontes de estar junto,
resumindo assim a única despedida que te conheci,
levantei o estore da noite mal surgiram
as sombras,
percebi o difícil dos minutos sem ti,
quando
se tornaram insuportaveis o que sempre tinham sido segundos de suprema pintura de desejos,...

e agora o fazer mal do silêncio,...

se mudar os meus olhos,
tu voltas?

12 comentários:

  1. Intrigante. Acho que mesmo que se mudem as personalidades e os "olhos" não voltarão um para o outro, mas é apenas a minha opinião.

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que achaste intrigante.
    Foi o objetivo
    Obrigado:)

    ResponderEliminar
  3. Um pequeno texto e cheio de sentimento.

    ResponderEliminar
  4. Dá que pensar essas palavras...

    Mas se teve de ir e não voltou é porque não era nosso

    ResponderEliminar
  5. Ola andre.
    Ainda bem que da que pensar.
    Obrigado

    ResponderEliminar
  6. Esse fim tão delicioso, para um texto tão cheio de sentido. Parabéns pela sua escrita.

    ResponderEliminar
  7. Muito obrigado Catarina
    :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Escrita sempre cativante! Quando a saudade aperta e não podemos fazer nada para que a outra pessoa volte dói muito :/

    ResponderEliminar
  9. Uauuu, fiquei sem palavras! :o

    Beijinhos, Brenda
    http://momentosdeataraxia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Acha disto que....

Etiquetas

Poesia (945) Vida (646) Surreal (341) poemas (296) Pensamentos (205) Homem (189) Introspecção (187) escrita (165) poema (156) Textos (110) abstrato (95) Sem Título (84) Portugal (79) Sonhos (77) prosa (73) Escrever (68) imagem (66) introspeção (65) Contos (60) pensar (60) youtube (60) Reflexão (59) Um dia gostava de saber escrever assim (58) musica (58) poesias (58) Tempo (56) Literatura (51) Sórdido (51) video (50) Amor (47) autores (47) Política (43) Passado (42) tristeza (40) Absurdo (37) Ironia (34) pensamento (29) foto (28) imagens (28) gif (27) Recordações (26) História (25) Humor (25) Fantasia (24) introspecao (24) Morte (20) Desilusão (19) Ficção (18) Memória (18) desespero (18) rotina (18) texto (18) Música (16) cinema (16) Regresso (15) existência (15) lisboa (13) solidão (13) Dedicatória (12) Pelo Menos (12) Texto # (12) dúvida (12) quotidiano (12) Comiseração (11) Menina perfeita (11) escritores (11) fotos (11) nonsense (11) Rimas (10) giphy (10) ideias (10) ser (10) 'Depois de almoço' (9) escritaautomática (9) irreal (9) videos (9) Inatingivel (8) Mundo (8) Vídeos (8) blogue (8) presente (8) real (8) sentimentos (8) Divagações (7) Suspense (7) ausência (7) coisas estúpidas (7) sombrio (7) surrealista (7) Discurso de (6) Diálogo (6) curtas (6) datas (6) desnorte (6) fotografia (6) futuro (6) gatos (6) ilusão (6) noite (6) pessoal (6) qualquer coisa (6) recordar (6) relacionamentos (6) sonhar (6) vídeo (6) Dia Mundial da Poesia (5) Homenagem (5) Natal (5) ciidade (5) comédia (5) depressão (5) do nada (5) dor (5) espaço (5) imaginário (5) luxos importados (5) paginas partilhadas (5) politica (5) razão (5) sonho (5) trabalho (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) Tumblr (4) Viagens (4) amargo (4) animais (4) belo (4) concursos (4) descrição (4) interrogação (4) intervenção (4) linguagem (4) livros (4) língua (4) meditação (4) reflexao (4) saudade (4) subjectividade (4) sujeito (4) terra (4) Gótico (3) Poemas de enternecer (3) Religião (3) Vício (3) adeus (3) aniversario (3) aniversário (3) auto-conhecimento (3) autor (3) beleza (3) breve (3) cidade (3) colaborações (3) conformismo (3) conhecer (3) conversas (3) crossover (3) curtos (3) céu (3) dia (3) espera (3) filmes (3) fim (3) ideia (3) lamentos (3) lembrança (3) medo (3) mensagem (3) mulher (3) obscuro (3) outono (3) país (3) pessimismo (3) pessoas (3) popular (3) porque sim (3) prosa poética (3) páginas partilhadas (3) sem sentido (3) social (3) tarde (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Desejos (2) Fernando pessoa (2) Poemas música (2) Poesia abstrato (2) angustia (2) ao calhas (2) arte (2) atualidade (2) certeza (2) condição humana (2) conto (2) curto (2) decepção (2) desconexo (2) desejo (2) destino (2) discurso (2) eu (2) evento (2) fado (2) falhanço (2) familia (2) família (2) hate myself (2) indecisão (2) instrospeção (2) interior (2) jogos de palavras (2) lamento (2) leituras (2) liberdade (2) loucura (2) luta (2) manhã (2) monólogo (2) parvoíces (2) perda (2) pictures (2) poetas (2) psicose (2) realidade (2) revolta (2) ridículo (2) riso (2) sem tema (2) sentimento (2) sexo (2) silêncio (2) simples (2) statement (2) subjetividade (2) subjetivo (2) viagem (2) violência (2) viver (2) Africa (1) Denúncia (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Teatro (1) Universo (1) acrescenta um ponto ao conto (1) alegria (1) alienação (1) animado (1) análise (1) armagedão (1) artistas (1) blackadder (1) brincadeira (1) campo (1) canto (1) cartas (1) coletâneas (1) comida (1) conjetura (1) considerar (1) contribuições (1) crónica (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenho (1) despedida (1) dialogo (1) discriminação (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) erotismo (1) escreva (1) escrita criativa (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) falar (1) fatalismo (1) feelings (1) felicidade (1) festa (1) filosofar (1) filosofia (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) guerra (1) haiku (1) hesitações (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) idade (1) ilusao (1) imaginar (1) indecente (1) infancia (1) iniciativas (1) insulto (1) inutil (1) inverno (1) irracional (1) jardim (1) jogo de palavras (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) leitura (1) lembrar (1) lengalenga (1) letras (1) lingua (1) link (1) links (1) livre (1) mario viegas (1) memórias (1) metáforas (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nomes (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) once upon a time (1) outono quente (1) participações (1) passeio (1) pensáveis (1) percepção (1) personalidade (1) pobreza (1) português (1) praia (1) precisar (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) raiva (1) rap (1) redes sociais (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) ridiculo (1) risco (1) ruído (1) saudades (1) sem titulo (1) sensibilidade (1) sentidos (1) sentir (1) sociedade (1) som (1) televisão (1) tweet (1) twitter (1) vazio (1) velhice (1) versos (1) vida escrita (1) vidasubjectividade (1) vivência (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1) ódio (1)