julho 24, 2021

Vontade de resignação

 

Quando disse que me recordava de ter partido,

Os pormenores já falham,

Sei que haviam uns primos,

Pouco os conhecia,

E o fumo de tabaco levava-a para dentro e fora da sala,

E a mesa com copos dispostos sem nenhuma ordem,... 


Liam-se escritores desconhecidos,

E uma nota só de música de câmara esgueirava-se pelos beirais das janelas do bairro,

Sentia o medo possível,

E também a raiva possível,

Com a lição estudada de animismos por entre todo aquele ressentimento,...


Seria um texto sem fim o que descrevesse aquele cenário,

Enquanto lá fora a chuva prendia a vontade de resignação 

4 comentários:

  1. Com essa descrição, afinal os pormenores ficaram na memória,seria um texto sem fim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim.com várias continuações possíveis
      Obrigado pela presenca

      Eliminar
  2. Os pormenores fazem a diferença, mas quando falham a desordem pode instalar-se um pouco...
    Há cenários difíceis de descrever, mas resignar-se nem sempre, nem nunca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo.
      Resignação é veneno
      Obrigado pela presença

      Eliminar

Acha disto que....

Etiquetas

Poesia (1107) Vida (869) Surreal (423) poemas (388) poema (356) escrita (274) Pensamentos (212) Homem (194) Introspecção (191) pensar (161) Escrever (133) abstrato (132) Textos (116) introspeção (87) Portugal (85) Sem Título (84) poesias (81) prosa (80) Sonhos (78) autores (78) Um dia gostava de saber escrever assim (75) imagem (75) Reflexão (72) youtube (69) musica (64) Contos (61) Tempo (59) Absurdo (57) Literatura (56) Amor (54) Passado (54) video (52) Sórdido (51) Política (45) tristeza (42) imagens (35) Ironia (34) pensamento (34) foto (33) História (30) gif (30) introspecao (30) Fantasia (29) Desilusão (28) Recordações (28) texto (27) Humor (25) cinema (24) Música (22) rotina (22) Dedicatória (21) Memória (21) Ficção (20) Morte (20) Divagações (19) desespero (19) Comiseração (18) dúvida (17) existência (17) fotos (17) ser (17) Desejos (16) Regresso (15) lisboa (15) Tumblr (14) recordar (14) solidão (14) irreal (13) quotidiano (13) Inatingivel (12) Pelo Menos (12) Texto # (12) Vídeos (12) ideias (12) real (12) sujeito (12) videos (12) Menina perfeita (11) Rimas (11) escritores (11) giphy (11) nonsense (11) presente (11) sentimentos (10) 'Depois de almoço' (9) escritaautomática (9) razão (9) Mundo (8) Religião (8) autor (8) blogue (8) fotografia (8) sonhar (8) sonho (8) Natal (7) Suspense (7) ausência (7) coisas estúpidas (7) curtas (7) ilusão (7) pessoal (7) relacionamentos (7) saudade (7) sombrio (7) subjetivo (7) surrealista (7) viver (7) vídeo (7) Discurso de (6) Diálogo (6) Homenagem (6) datas (6) desnorte (6) filmes (6) futuro (6) gatos (6) noite (6) qualquer coisa (6) Dia Mundial da Poesia (5) Viagens (5) aniversario (5) belo (5) cidade (5) ciidade (5) comédia (5) concursos (5) depressão (5) descrição (5) do nada (5) dor (5) espaço (5) imaginário (5) lembrança (5) linguagem (5) livros (5) luxos importados (5) língua (5) paginas partilhadas (5) pessoas (5) politica (5) prosa poética (5) reflexao (5) trabalho (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) adeus (4) amargo (4) animais (4) arte (4) crossover (4) espera (4) família (4) ideia (4) interrogação (4) intervenção (4) meditação (4) poetar (4) poetas (4) sentir (4) social (4) subjectividade (4) terra (4) Gótico (3) Poemas de enternecer (3) Vício (3) abstração (3) aniversário (3) auto-conhecimento (3) beleza (3) breve (3) colaborações (3) conformismo (3) conhecer (3) conto (3) conversas (3) curtos (3) céu (3) desejo (3) destino (3) dia (3) eu (3) evento (3) familia (3) fim (3) lamentos (3) medo (3) mensagem (3) mulher (3) obscuro (3) outono (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) páginas partilhadas (3) realidade (3) sem sentido (3) sentimento (3) silêncio (3) tarde (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Denúncia (2) Fernando pessoa (2) Poemas música (2) Poesia abstrato (2) alegria (2) angustia (2) ao calhas (2) armagedão (2) atualidade (2) campo (2) certeza (2) condição humana (2) considerar (2) curto (2) decepção (2) desconexo (2) discurso (2) erotismo (2) fado (2) falhanço (2) filosofar (2) frase (2) hate myself (2) hesitações (2) indecisão (2) instrospeção (2) interior (2) jogo de palavras (2) jogos de palavras (2) lamento (2) leituras (2) lembrar (2) liberdade (2) link (2) loucura (2) luta (2) manhã (2) monólogo (2) parvoíces (2) passeio (2) perda (2) personalidade (2) pictures (2) psicose (2) racional (2) refletir (2) revolta (2) ridículo (2) riso (2) sem tema (2) sensibilidade (2) sentidos (2) sexo (2) simples (2) statement (2) subjetividade (2) tradicional (2) viagem (2) violência (2) Africa (1) Anuncio (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Poeta (1) Teatro (1) Universo (1) acrescenta um ponto ao conto (1) agir (1) alienação (1) animado (1) anseio (1) ansiedade (1) antiguidade (1) análise (1) artistas (1) assunto (1) ausencia (1) blackadder (1) brincadeira (1) canto (1) cartas (1) citações (1) coletâneas (1) comida (1) conjetura (1) contribuições (1) cruel (1) crónica (1) cálculos (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenho (1) despedida (1) dialogo (1) discriminação (1) dissertar (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) efeméride (1) embed (1) escreva (1) escrita criativa (1) estranho (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) exercício (1) explicar (1) falar (1) fatalismo (1) feelings (1) felicidade (1) festa (1) filosofia (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) frases (1) futebol (1) guerra (1) haiku (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) idade (1) ilusao (1) imaginar (1) imprensa (1) inatingível (1) indecente (1) infancia (1) infantil (1) inglês (1) iniciativas (1) insulto (1) inutil (1) inverno (1) irracional (1) jardim (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) leitura (1) lengalenga (1) ler (1) letras (1) lingua (1) links (1) livre (1) mario viegas (1) melancolia (1) memórias (1) metáforas (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nomes (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) once upon a time (1) outono quente (1) pais (1) participações (1) pensáveis (1) pequeno (1) percepção (1) pintura (1) pobreza (1) português (1) praia (1) precisar (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) prémios (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) questionar (1) raiva (1) rap (1) recear (1) redes sociais (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) resposta (1) ridiculo (1) risco (1) ruído (1) saudades (1) sem titulo (1) sociedade (1) som (1) televisão (1) texto poético (1) tv (1) tweet (1) twitter (1) vazio (1) velhice (1) versos (1) vida escrita (1) vidasubjectividade (1) visão (1) vivência (1) voraz (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1) ódio (1)