2021/07/12

Evangelho a propósito


sigam-me,

a existência está gasta, estas são linhas que, por pouco menos

do que a presença, resvalam como curvas acentuadas,

caminhos perdidos que a efetiva reconstrução do tempo

deixa pendentes,...


não temo ninguém,

o meu evangelho são as rugas que

me semicerram os olhos,

a cada dia que me afasto

da candura,

e me arrasto para a malvadez,...


se me quiserem,

ouvir, perceber, descrever, escrever, desenhar,

não importa o verbo,

a resolução é simples,

a vida tem de pesar menos

que o arrependimento

6 comentários:

  1. Arrependimento, remorso, a vida tem de pesar mais, para a nossa continuidade.

    ResponderEliminar
  2. O peso dos dias nas rugas dos olhos...
    Assim anda a nossa fadiga e tormenta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um evangelho dificil de explicar, e de conceber.
      Obrigado pela presença

      Eliminar
  3. Mas quem se arrenpende está salvo, segundo a Biblia.
    Gostei deste evangelho.
    Muito criativo e bem escrito.
    Abraço.
    :)

    ResponderEliminar

Acha disto que....

Etiquetas

Poesia (1349) Vida (1238) poemas (672) Surreal (579) poema (524) pensar (509) escrita (360) poesias (333) Pensamentos (215) Escrever (211) ser (211) Homem (199) Introspecção (197) abstrato (191) prosa (158) Textos (118) introspeção (108) autores (106) Reflexão (99) imagem (92) Portugal (89) Um dia gostava de saber escrever assim (86) youtube (86) Passado (84) Sem Título (84) musica (84) Amor (78) Sonhos (78) Tempo (74) Literatura (69) Absurdo (62) Contos (61) video (58) Política (51) Sórdido (51) texto (45) tristeza (44) pensamento (42) rotina (41) foto (40) História (39) imagens (38) razão (38) real (37) Ironia (36) Música (36) cinema (33) gif (33) introspecao (32) Fantasia (31) recordar (31) Ficção (30) Desilusão (28) Recordações (28) Humor (25) Memória (24) Dedicatória (22) desespero (22) fotos (22) refletir (22) Morte (21) lisboa (21) presente (21) pessoal (20) Divagações (19) existência (19) Comiseração (18) Desejos (18) dúvida (18) reflexao (17) viver (17) Inatingivel (16) razao (16) saudade (16) Regresso (15) irreal (15) quotidiano (15) videos (15) Natal (14) Tumblr (14) Viagens (14) abstração (14) ideias (14) solidão (14) sonho (14) Religião (13) Vídeos (13) sentir (13) Pelo Menos (12) Rimas (12) Texto # (12) autor (12) escritores (12) mulher (12) politica (12) sonhar (12) sujeito (12) Menina perfeita (11) cidade (11) desejo (11) giphy (11) noite (11) nonsense (11) aniversário (10) arte (10) blogue (10) dissertar (10) escritaautomática (10) pessoas (10) sentimentos (10) vídeo (10) 'Depois de almoço' (9) fotografia (9) ilusão (9) sombrio (9) surrealista (9) Mundo (8) ausência (8) curtas (8) futuro (8) livros (8) poetas (8) prosa poética (8) racional (8) relacionamentos (8) Dia Mundial da Poesia (7) Suspense (7) blog (7) coisas estúpidas (7) dia (7) familia (7) filmes (7) filosofia (7) social (7) subjetivo (7) Discurso de (6) Diálogo (6) Homenagem (6) aniversario (6) datas (6) depressão (6) desnorte (6) dor (6) filosofar (6) gatos (6) lembrança (6) loucura (6) medo (6) qualquer coisa (6) trabalho (6) Inatingiveis (5) adeus (5) belo (5) ciidade (5) comédia (5) concursos (5) conhecer (5) corpo (5) curto (5) curtos (5) descrição (5) do nada (5) espaço (5) família (5) festas (5) ideia (5) imaginário (5) linguagem (5) luxos importados (5) língua (5) meditação (5) paginas partilhadas (5) strand of oaks (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) amargo (4) animais (4) auto-conhecimento (4) breve (4) condição humana (4) considerar (4) conto (4) crossover (4) espera (4) eu (4) festa (4) ilusao (4) interrogação (4) intervenção (4) irracional (4) poetar (4) realidade (4) sociedade (4) subjectividade (4) tarde (4) terra (4) viagem (4) violência (4) Gótico (3) Poemas de enternecer (3) Porsia (3) Vício (3) artistas (3) beleza (3) campo (3) colaborações (3) conformismo (3) conversas (3) céu (3) destino (3) erotismo (3) evento (3) existir (3) falar (3) fim (3) imaginar (3) internet (3) lamento (3) lamentos (3) ler (3) liberdade (3) link (3) manhã (3) mensagem (3) obscuro (3) outono (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) páginas partilhadas (3) religiao (3) riso (3) sem sentido (3) sentimento (3) silêncio (3) umdiagostavadesaberescreverassim (3) vida pensar (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Blog inatingiveis (2) Denúncia (2) Fernando pessoa (2) Livro (2) Poemas música (2) Poesia abstrato (2) alegria (2) amizade (2) angustia (2) animado (2) ano (2) ao calhas (2) armagedão (2) atualidade (2) certeza (2) decepção (2) desconexo (2) diamundialdapoesia (2) discurso (2) duvida (2) efeméride (2) ela (2) fado (2) falhanço (2) felicidade (2) frase (2) frases (2) guerra (2) hate myself (2) hesitações (2) indecisão (2) individualidade (2) infancia (2) instrospeção (2) insulto (2) interior (2) jogo de palavras (2) jogos de palavras (2) l (2) leituras (2) lembrar (2) lingua (2) luta (2) luz (2) monólogo (2) nomes (2) parvoíces (2) passeio (2) pensar surreal (2) perda (2) personalidade (2) pessoa (2) pictures (2) pintura (2) prosas (2) prémios (2) psicose (2) questionar (2) revolta (2) ridículo (2) rural (2) saudades (2) sem tema (2) sensibilidade (2) sentidos (2) sexo (2) simples (2) soturno (2) spotifiy (2) statement (2) subjetividade (2) tradicional (2) versos (2) vivência (2) Africa (1) Anuncio (1) BD (1) Ferias (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poemws (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Poesiaa (1) Poeta (1) Prosa cinema (1) Prosa mulher (1) Teatro (1) Universo (1) abstracao (1) acomodações do dia (1) acrescenta um ponto ao conto (1) admissão (1) agir (1) alienação (1) anseio (1) ansiedade (1) antigo (1) antiguidade (1) análise (1) anúncio (1) arrependimento (1) assunto (1) ausencia (1) auto (1) blackadder (1) brincadeira (1) canto (1) cartas (1) casa (1) casal (1) celebração (1) choro (1) citações (1) coletâneas (1) comida (1) companhia (1) conceito (1) conjetura (1) contribuições (1) cruel (1) crónica (1) culpa (1) cultura (1) curta (1) cálculos (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenhar (1) desenho (1) despedida (1) dia da mulher (1) dialogo (1) discriminação (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) eletricidade (1) embed (1) escreva (1) escrita criativa (1) escuridão (1) estetica (1) estrangeiro (1) estranho (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) exercício (1) existencial (1) explicar (1) fatalismo (1) feelings (1) filme (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) futebol (1) gifs (1) gostar (1) haiku (1) haver (1) horas (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) idade (1) imagem ser (1) imprensa (1) inatingível (1) indecente (1) infantil (1) inglês (1) iniciativas (1) internacional (1) inutil (1) inverno (1) jardim (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) leitura (1) lengalenga (1) letras (1) links (1) livre (1) lugar (1) línguas (1) mario viegas (1) melancolia (1) memórias (1) metáforas (1) mistério (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nobel (1) noite vida (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) obras (1) once upon a time (1) outono quente (1) pais (1) palavra (1) palavras (1) participações (1) partir (1) paz (1) pensar vida (1) penssr (1) pensáveis (1) pequeno (1) percepção (1) perceção (1) pobreza (1) português (1) post (1) praia (1) precisar (1) problema (1) procura (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) raiva (1) rap (1) realismo (1) recear (1) recordação (1) redes sociais (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) resposta (1) reveillon (1) ridiculo (1) risco (1) ruído (1) segredos (1) sem titulo (1) sensual (1) ser pensar (1) silencio (1) som (1) surreal pensar (1) surrreal (1) sátira (1) sóporquesim (1) televisão (1) texto poético (1) tv (1) tweet (1) twitter (1) urgência (1) vazio (1) velhice (1) ver (1) verbo (1) verbos (1) viajar (1) vida escrita (1) vida ser (1) vidas (1) vidasubjectividade (1) visão (1) voraz (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1) ódio (1)