maio 24, 2021

Decisões perniciosas

 


Soluções,

Era primeiro uma inverdade,

Mascarada de destino inevitável,

Depois a memória a que me agarrava de uma velha casa,

Que ao longe terá sido minha,

Ali repousei,

Me fiz homem inseguro,

Soube o que são decisões perniciosas,...


Mas havia sempre problemas,

Sei que o conversava com quem calhasse,

E havia infrutíferas permanências à luz da história,

Quase como se fosse ela a proteger-me,

Mas,

Soluções,

Sempre o que perdi 

6 comentários:

  1. Na aflição fazemos de qualquer um, um confidente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma interpretação
      😊
      Obrigado pela presença

      Eliminar
  2. Que bonito e colorido Design tem o seu blogue! Parabéns, bom gosto!

    Há decisões, de facto, perniciosas, mas não deixam de ser decisões. As soluções dos nossos problemas nem sempre as sabemos "apanhar".

    Boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado
      Haja alguma coisa bonita aqui. Já que os textos não são assim tanto
      😊

      Eliminar
    2. Não me agradeça, por favor!

      O Design do seu blogue ganhou cor e muita vida. É bom sinal, porque talvez traduza o seu estado de espírito neste tempo.

      A sua poesia pode ter diversas interpretações e não é "fácil", como sabe, mas para si exprime tão bem aquilo que sente. Verdade? É escrita por um homem muito inteligente e invulgar, concluo.

      Fique bem, meu amigo!

      Eliminar
    3. Fico feliz pelos elogios
      😊

      Eliminar

Acha disto que....

Etiquetas

Poesia (1107) Vida (869) Surreal (423) poemas (388) poema (356) escrita (274) Pensamentos (212) Homem (194) Introspecção (191) pensar (161) Escrever (133) abstrato (132) Textos (116) introspeção (87) Portugal (85) Sem Título (84) poesias (81) prosa (80) Sonhos (78) autores (78) Um dia gostava de saber escrever assim (75) imagem (75) Reflexão (72) youtube (69) musica (64) Contos (61) Tempo (59) Absurdo (57) Literatura (56) Amor (54) Passado (54) video (52) Sórdido (51) Política (45) tristeza (42) imagens (35) Ironia (34) pensamento (34) foto (33) História (30) gif (30) introspecao (30) Fantasia (29) Desilusão (28) Recordações (28) texto (27) Humor (25) cinema (24) Música (22) rotina (22) Dedicatória (21) Memória (21) Ficção (20) Morte (20) Divagações (19) desespero (19) Comiseração (18) dúvida (17) existência (17) fotos (17) ser (17) Desejos (16) Regresso (15) lisboa (15) Tumblr (14) recordar (14) solidão (14) irreal (13) quotidiano (13) Inatingivel (12) Pelo Menos (12) Texto # (12) Vídeos (12) ideias (12) real (12) sujeito (12) videos (12) Menina perfeita (11) Rimas (11) escritores (11) giphy (11) nonsense (11) presente (11) sentimentos (10) 'Depois de almoço' (9) escritaautomática (9) razão (9) Mundo (8) Religião (8) autor (8) blogue (8) fotografia (8) sonhar (8) sonho (8) Natal (7) Suspense (7) ausência (7) coisas estúpidas (7) curtas (7) ilusão (7) pessoal (7) relacionamentos (7) saudade (7) sombrio (7) subjetivo (7) surrealista (7) viver (7) vídeo (7) Discurso de (6) Diálogo (6) Homenagem (6) datas (6) desnorte (6) filmes (6) futuro (6) gatos (6) noite (6) qualquer coisa (6) Dia Mundial da Poesia (5) Viagens (5) aniversario (5) belo (5) cidade (5) ciidade (5) comédia (5) concursos (5) depressão (5) descrição (5) do nada (5) dor (5) espaço (5) imaginário (5) lembrança (5) linguagem (5) livros (5) luxos importados (5) língua (5) paginas partilhadas (5) pessoas (5) politica (5) prosa poética (5) reflexao (5) trabalho (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) adeus (4) amargo (4) animais (4) arte (4) crossover (4) espera (4) família (4) ideia (4) interrogação (4) intervenção (4) meditação (4) poetar (4) poetas (4) sentir (4) social (4) subjectividade (4) terra (4) Gótico (3) Poemas de enternecer (3) Vício (3) abstração (3) aniversário (3) auto-conhecimento (3) beleza (3) breve (3) colaborações (3) conformismo (3) conhecer (3) conto (3) conversas (3) curtos (3) céu (3) desejo (3) destino (3) dia (3) eu (3) evento (3) familia (3) fim (3) lamentos (3) medo (3) mensagem (3) mulher (3) obscuro (3) outono (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) páginas partilhadas (3) realidade (3) sem sentido (3) sentimento (3) silêncio (3) tarde (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Denúncia (2) Fernando pessoa (2) Poemas música (2) Poesia abstrato (2) alegria (2) angustia (2) ao calhas (2) armagedão (2) atualidade (2) campo (2) certeza (2) condição humana (2) considerar (2) curto (2) decepção (2) desconexo (2) discurso (2) erotismo (2) fado (2) falhanço (2) filosofar (2) frase (2) hate myself (2) hesitações (2) indecisão (2) instrospeção (2) interior (2) jogo de palavras (2) jogos de palavras (2) lamento (2) leituras (2) lembrar (2) liberdade (2) link (2) loucura (2) luta (2) manhã (2) monólogo (2) parvoíces (2) passeio (2) perda (2) personalidade (2) pictures (2) psicose (2) racional (2) refletir (2) revolta (2) ridículo (2) riso (2) sem tema (2) sensibilidade (2) sentidos (2) sexo (2) simples (2) statement (2) subjetividade (2) tradicional (2) viagem (2) violência (2) Africa (1) Anuncio (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Poeta (1) Teatro (1) Universo (1) acrescenta um ponto ao conto (1) agir (1) alienação (1) animado (1) anseio (1) ansiedade (1) antiguidade (1) análise (1) artistas (1) assunto (1) ausencia (1) blackadder (1) brincadeira (1) canto (1) cartas (1) citações (1) coletâneas (1) comida (1) conjetura (1) contribuições (1) cruel (1) crónica (1) cálculos (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenho (1) despedida (1) dialogo (1) discriminação (1) dissertar (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) efeméride (1) embed (1) escreva (1) escrita criativa (1) estranho (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) exercício (1) explicar (1) falar (1) fatalismo (1) feelings (1) felicidade (1) festa (1) filosofia (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) frases (1) futebol (1) guerra (1) haiku (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) idade (1) ilusao (1) imaginar (1) imprensa (1) inatingível (1) indecente (1) infancia (1) infantil (1) inglês (1) iniciativas (1) insulto (1) inutil (1) inverno (1) irracional (1) jardim (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) leitura (1) lengalenga (1) ler (1) letras (1) lingua (1) links (1) livre (1) mario viegas (1) melancolia (1) memórias (1) metáforas (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nomes (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) once upon a time (1) outono quente (1) pais (1) participações (1) pensáveis (1) pequeno (1) percepção (1) pintura (1) pobreza (1) português (1) praia (1) precisar (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) prémios (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) questionar (1) raiva (1) rap (1) recear (1) redes sociais (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) resposta (1) ridiculo (1) risco (1) ruído (1) saudades (1) sem titulo (1) sociedade (1) som (1) televisão (1) texto poético (1) tv (1) tweet (1) twitter (1) vazio (1) velhice (1) versos (1) vida escrita (1) vidasubjectividade (1) visão (1) vivência (1) voraz (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1) ódio (1)