junho 14, 2021

Desígnio comum verbal

 


Haveria um momento,

A percentagem de sucesso poderia permitir algum otimismo,

Mas havia um momento em que iria colher a razão,

Duas pessoas a conversarem por um desígnio comum,...


Celebravam-no com a mesma bebida,

O mesmo livro medíocre,

E lá ao fundo ainda restavam fios de sol,

Que o dia era inocente apenas o suficiente,

So até as pessoas quererem permanecer à chuva até se sentirem solidárias 

6 comentários:

  1. A construção de um momento para um fim, talvez, feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um desígnio que una as pessoas pela linguagem
      Obrigado pela presença

      Eliminar
  2. Um texto instigante e muito bom pra refletir.
    Ainda nao me interessei em aprender , mas leio por aí que o Esperanto será a linguagem universal, quando os povos do Planeta se unirão . Entretanto, penso que a linguagem a nos unir sempre será a da SOLIDARIEDADE.

    Parabéns amigo. Teu talento é admirável.

    Beijo de boa tarde !!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Maria Lúcia
      :-)
      Fico feliz com o incentivo.

      Eliminar
  3. Há momentos solidários.
    Este poema a isso convida!
    Tenha uma semana abençoada com muita saúde.
    Beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pela presença
    😊🇵🇹

    ResponderEliminar

Acha disto que....

Etiquetas

Poesia (1094) Vida (832) Surreal (410) poemas (366) poema (332) escrita (254) Pensamentos (212) Homem (194) Introspecção (191) pensar (149) Escrever (126) abstrato (126) Textos (116) Portugal (84) Sem Título (84) introspeção (84) prosa (79) Sonhos (78) autores (76) poesias (76) Um dia gostava de saber escrever assim (75) imagem (75) Reflexão (72) youtube (68) musica (62) Contos (61) Tempo (58) Absurdo (57) Literatura (56) Amor (52) Passado (52) video (52) Sórdido (51) Política (45) tristeza (42) imagens (35) Ironia (34) pensamento (33) foto (32) História (30) gif (30) Fantasia (29) introspecao (29) Desilusão (28) Recordações (28) texto (27) Humor (25) cinema (23) Música (22) Dedicatória (21) Memória (21) rotina (21) Ficção (20) Morte (20) Divagações (19) desespero (19) Comiseração (18) existência (17) fotos (17) Desejos (16) dúvida (16) Regresso (15) lisboa (15) ser (15) Tumblr (14) solidão (14) irreal (13) quotidiano (13) recordar (13) Pelo Menos (12) Texto # (12) Vídeos (12) ideias (12) sujeito (12) videos (12) Menina perfeita (11) Rimas (11) escritores (11) giphy (11) nonsense (11) real (11) Inatingivel (10) sentimentos (10) 'Depois de almoço' (9) escritaautomática (9) presente (9) razão (9) Mundo (8) Religião (8) autor (8) blogue (8) sonhar (8) sonho (8) Natal (7) Suspense (7) ausência (7) coisas estúpidas (7) curtas (7) fotografia (7) ilusão (7) pessoal (7) relacionamentos (7) saudade (7) sombrio (7) surrealista (7) vídeo (7) Discurso de (6) Diálogo (6) Homenagem (6) datas (6) desnorte (6) filmes (6) futuro (6) gatos (6) noite (6) qualquer coisa (6) subjetivo (6) viver (6) Dia Mundial da Poesia (5) Viagens (5) aniversario (5) belo (5) cidade (5) ciidade (5) comédia (5) depressão (5) descrição (5) do nada (5) dor (5) espaço (5) imaginário (5) lembrança (5) linguagem (5) livros (5) luxos importados (5) língua (5) paginas partilhadas (5) pessoas (5) politica (5) prosa poética (5) reflexao (5) trabalho (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) adeus (4) amargo (4) animais (4) concursos (4) crossover (4) espera (4) família (4) ideia (4) interrogação (4) intervenção (4) meditação (4) poetar (4) sentir (4) social (4) subjectividade (4) terra (4) Gótico (3) Poemas de enternecer (3) Vício (3) aniversário (3) arte (3) auto-conhecimento (3) beleza (3) breve (3) colaborações (3) conformismo (3) conhecer (3) conto (3) conversas (3) curtos (3) céu (3) desejo (3) destino (3) dia (3) eu (3) evento (3) fim (3) lamentos (3) medo (3) mensagem (3) mulher (3) obscuro (3) outono (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) páginas partilhadas (3) realidade (3) sem sentido (3) sentimento (3) silêncio (3) tarde (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Denúncia (2) Fernando pessoa (2) Poemas música (2) Poesia abstrato (2) alegria (2) angustia (2) ao calhas (2) armagedão (2) atualidade (2) campo (2) certeza (2) condição humana (2) considerar (2) curto (2) decepção (2) desconexo (2) discurso (2) erotismo (2) fado (2) falhanço (2) familia (2) filosofar (2) frase (2) hate myself (2) hesitações (2) indecisão (2) instrospeção (2) interior (2) jogo de palavras (2) jogos de palavras (2) lamento (2) leituras (2) liberdade (2) link (2) loucura (2) luta (2) manhã (2) monólogo (2) parvoíces (2) passeio (2) perda (2) personalidade (2) pictures (2) poetas (2) psicose (2) refletir (2) revolta (2) ridículo (2) riso (2) sem tema (2) sensibilidade (2) sentidos (2) sexo (2) simples (2) statement (2) subjetividade (2) tradicional (2) viagem (2) violência (2) Africa (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Poeta (1) Teatro (1) Universo (1) acrescenta um ponto ao conto (1) agir (1) alienação (1) animado (1) anseio (1) ansiedade (1) antiguidade (1) análise (1) artistas (1) assunto (1) blackadder (1) brincadeira (1) canto (1) cartas (1) citações (1) coletâneas (1) comida (1) conjetura (1) contribuições (1) cruel (1) crónica (1) cálculos (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenho (1) despedida (1) dialogo (1) discriminação (1) dissertar (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) efeméride (1) embed (1) escreva (1) escrita criativa (1) estranho (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) exercício (1) explicar (1) falar (1) fatalismo (1) feelings (1) felicidade (1) festa (1) filosofia (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) frases (1) futebol (1) guerra (1) haiku (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) idade (1) ilusao (1) imaginar (1) imprensa (1) inatingível (1) indecente (1) infancia (1) inglês (1) iniciativas (1) insulto (1) inutil (1) inverno (1) irracional (1) jardim (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) leitura (1) lembrar (1) lengalenga (1) letras (1) lingua (1) links (1) livre (1) mario viegas (1) melancolia (1) memórias (1) metáforas (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nomes (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) once upon a time (1) outono quente (1) pais (1) participações (1) pensáveis (1) pequeno (1) percepção (1) pintura (1) pobreza (1) português (1) praia (1) precisar (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) prémios (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) questionar (1) racional (1) raiva (1) rap (1) recear (1) redes sociais (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) resposta (1) ridiculo (1) risco (1) ruído (1) saudades (1) sem titulo (1) sociedade (1) som (1) televisão (1) texto poético (1) tv (1) tweet (1) twitter (1) vazio (1) velhice (1) versos (1) vida escrita (1) vidasubjectividade (1) visão (1) vivência (1) voraz (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1) ódio (1)