2020/10/04

Martim, rapaz robustecido

 

para martim, rapaz robustecido e anuente com a frequência das coisas boas na terra onde vivia, esta era uma questão de vida ou morte. Vestido de afrologia declarada, com calças de sarja, e uma camisa de ramagens de palmeira, que o declarava fonte de alegria no taciturno dos dias que ali demoravam a passar, acreditava que ela havia de se recordar,...
a menina era equilibrada. Permanecia oculta quando nas redondezas, tudo parecia descender em respaldos de loucura, e quando aparecia, fazia-o com encanto. Pé ante pé, de cabelos soltos, ligeiramente enfeitados com a cacimba das manhãs que desabrochavam em vida aos primeiros desembaraços de sol.
Pelo sim, pelo não, passou junto à entronizada casa de santos onde ela morava, havia pouco tempo. Esperou, esperou, e quando já parecia que nada ia ouvir, uma música insinuante, desordenada, mas que agarrava a pessoa por cada osso do corpo, saiu pelos arrabaldes da casa, até que lhe tocou os tímpanos de forma desempoeirada. Havia ali um descaramento difícil de descrever, mas que sabia bem.
Para Martim, rapaz robustecido e que aguentava bem cada remoque da existência, aquilo pareceu-lhe um convite a qualquer coisa. Deixou de ser uma questão de vida ou de morte, para frutificar um desejo de ali estar. Um dia, dois sóis, o tempo que fosse. Sabia que ia demorar, mas queria ter a certeza de que ela tinha mudado de ideias. Que o iria querer quando as coisas assim o permitissem. Quando o arroz passasse a ser mais barato que a água, e o perfume pudesse caber nos bolsos do povo.
Entretanto, enquanto esperava, lia um pequeno livro de cordel que encontrou escondido, no meio das ervas. Falava sobre um velho que se tinha despedido dos filhos, para ir morar para junto de uma fábrica....

9 comentários:

  1. Parece-me que o Martim está a despertar para para a vida.
    Gostei do rapaz e o texto é uma pequena maravilha literária.
    Muito bom e com uma riqueza de pormenores subentendidos, que denotam muita maturidade na área da escrita.

    :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela presença.
      Estes arranques são mesmo isso. Arranques para o que está aqui atravessado nestes dedos. Um primeiro livro de ficção. Mas não há meio de surgir
      Obrigado pelo elogio e leitura
      😊

      Eliminar
  2. Uma fracção de uma história de amor Juvenil. Não consegui encontrar o significado da palavra afrologia. Está história deve ter continuação?
    Boa Noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De vez em quando, muito de vez em quando, dedico me a inventar novas palavras.
      😊
      Provavelmente falho. Mas é muito Mia Couto consumido. 😊
      Obrigado pela presença

      Eliminar
    2. Quanto à continuação não prometo.
      Talvez. Mas duvido que a minha inspiração o consiga

      Eliminar
  3. Mesmo com esse entusiasmo juvenil, tenho que o livro que lhe caiu nas mãos o levou para longe, muito longe... Gostei muito do conto, cujo seguimento fica, por ora, a cargo de quem o lê rss.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. O melhor é ficar mesmo a cargo de quem o lê
      😊
      Obrigado pela presença

      Eliminar
  4. Gostei bastante do texto, mas fiquei um pouco defraudada, a menos que isto tenha continuação.
    Eu gostava de ler mais...senhor dos gatos!
    boa semana
    beijinhos
    :)
    Afago nos felinos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois.
      O problema é uma coisa chamada bloqueio que mora aqui dentro da minha cabecinha, e só me permite ainda fazer coisas aos poucos, no que à prosa diz respeito.
      Estou a ap+render a viver com ele, até um dia o conseguir matar de vez, e depois ver o que acontece
      :-)

      Eliminar

Acha disto que....

Etiquetas

Poesia (1357) Vida (1250) poemas (682) Surreal (584) poema (534) pensar (517) escrita (366) poesias (347) ser (236) Pensamentos (215) Escrever (211) Homem (201) Introspecção (197) abstrato (191) prosa (165) Textos (118) introspeção (109) autores (108) Reflexão (99) imagem (93) Portugal (89) youtube (88) Um dia gostava de saber escrever assim (86) musica (86) Passado (84) Sem Título (84) Amor (81) Sonhos (78) Tempo (75) Literatura (69) Absurdo (62) Contos (61) video (58) Política (51) Sórdido (51) texto (45) tristeza (44) rotina (43) foto (42) pensamento (42) História (41) real (41) imagens (38) razão (38) Música (37) Ironia (36) cinema (33) gif (33) introspecao (33) Fantasia (31) Ficção (31) recordar (31) Desilusão (28) Recordações (28) Humor (25) Memória (25) pessoal (23) presente (23) Dedicatória (22) desespero (22) fotos (22) lisboa (22) refletir (22) Morte (21) Divagações (19) existência (19) Comiseração (18) Desejos (18) dúvida (18) razao (18) viver (18) abstração (17) reflexao (17) Inatingivel (16) Viagens (16) saudade (16) Regresso (15) irreal (15) quotidiano (15) videos (15) Natal (14) Tumblr (14) ideias (14) solidão (14) sonho (14) Religião (13) Vídeos (13) sentir (13) Pelo Menos (12) Rimas (12) Texto # (12) autor (12) escritores (12) mulher (12) politica (12) sonhar (12) sujeito (12) Menina perfeita (11) cidade (11) desejo (11) giphy (11) noite (11) nonsense (11) aniversário (10) arte (10) blogue (10) dissertar (10) escritaautomática (10) pessoas (10) relacionamentos (10) sentimentos (10) vídeo (10) 'Depois de almoço' (9) blog (9) fotografia (9) ilusão (9) sombrio (9) surrealista (9) Mundo (8) ausência (8) curtas (8) dia (8) familia (8) futuro (8) livros (8) poetas (8) prosa poética (8) racional (8) Dia Mundial da Poesia (7) Suspense (7) coisas estúpidas (7) filmes (7) filosofia (7) social (7) subjetivo (7) Discurso de (6) Diálogo (6) Homenagem (6) Inatingiveis (6) aniversario (6) datas (6) depressão (6) desnorte (6) dor (6) filosofar (6) gatos (6) lembrança (6) loucura (6) medo (6) qualquer coisa (6) trabalho (6) adeus (5) belo (5) ciidade (5) comédia (5) concursos (5) condição humana (5) conhecer (5) corpo (5) curto (5) curtos (5) descrição (5) do nada (5) espaço (5) família (5) festa (5) festas (5) ideia (5) imaginário (5) linguagem (5) luxos importados (5) língua (5) meditação (5) paginas partilhadas (5) strand of oaks (5) terra (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) amargo (4) animais (4) artistas (4) auto-conhecimento (4) breve (4) considerar (4) conto (4) crossover (4) espera (4) eu (4) ilusao (4) interrogação (4) intervenção (4) irracional (4) poetar (4) realidade (4) sociedade (4) subjectividade (4) tarde (4) viagem (4) violência (4) Blog inatingiveis (3) Gótico (3) Livro (3) Poemas de enternecer (3) Porsia (3) Vício (3) beleza (3) campo (3) colaborações (3) conformismo (3) conversas (3) céu (3) destino (3) erotismo (3) evento (3) existir (3) falar (3) fim (3) imaginar (3) internet (3) lamento (3) lamentos (3) ler (3) liberdade (3) link (3) manhã (3) mensagem (3) obscuro (3) outono (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) páginas partilhadas (3) religiao (3) riso (3) sem sentido (3) sentimento (3) silêncio (3) umdiagostavadesaberescreverassim (3) vida pensar (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Denúncia (2) Fernando pessoa (2) Poemas música (2) Poesia abstrato (2) alegria (2) amizade (2) angustia (2) animado (2) ano (2) ao calhas (2) armagedão (2) atualidade (2) certeza (2) decepção (2) desconexo (2) diamundialdapoesia (2) discurso (2) duvida (2) efeméride (2) ela (2) fado (2) falhanço (2) felicidade (2) frase (2) frases (2) guerra (2) hate myself (2) hesitações (2) humano (2) indecisão (2) individualidade (2) infancia (2) instrospeção (2) insulto (2) interior (2) internacional (2) jogo de palavras (2) jogos de palavras (2) l (2) leituras (2) lembrar (2) lingua (2) luta (2) luz (2) monólogo (2) nomes (2) parvoíces (2) passeio (2) pensar surreal (2) perda (2) personalidade (2) pessoa (2) pictures (2) pintura (2) prosas (2) prémios (2) psicose (2) questionar (2) revolta (2) ridículo (2) rural (2) saudades (2) sem tema (2) sensibilidade (2) sentidos (2) sexo (2) simples (2) soturno (2) spotifiy (2) statement (2) subjetividade (2) tradicional (2) versos (2) vida escrita (2) vivência (2) Africa (1) Anuncio (1) BD (1) Ferias (1) Gig (1) Haikai (1) Justiça (1) Parabéns (1) Poemws (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Poesiaa (1) Poesias ser (1) Poeta (1) Prosa cinema (1) Prosa mulher (1) Teatro (1) Universo (1) abstracao (1) acomodações do dia (1) acrescenta um ponto ao conto (1) admissão (1) agir (1) alienação (1) amor passado (1) anseio (1) ansiedade (1) antigo (1) antiguidade (1) análise (1) anúncio (1) arrependimento (1) assunto (1) ausencia (1) auto (1) blackadder (1) brincadeira (1) canto (1) cartas (1) casa (1) casal (1) celebração (1) choro (1) citações (1) coletâneas (1) comida (1) companhia (1) conceito (1) conjetura (1) contribuições (1) cruel (1) crónica (1) culpa (1) cultura (1) curta (1) cálculos (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenhar (1) desenho (1) despedida (1) dia da mulher (1) dialogo (1) discriminação (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) e tal (1) eletricidade (1) embed (1) escreva (1) escrita criativa (1) escuridão (1) estetica (1) estrangeiro (1) estranho (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) exercício (1) existencial (1) explicar (1) fatalismo (1) feelings (1) feriado (1) filme (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) futebol (1) gifs (1) gostar (1) haiku (1) haver (1) horas (1) horuscultuliterarte (1) idade (1) imagem ser (1) imprensa (1) inatingível (1) indecente (1) infantil (1) inglês (1) iniciativas (1) inutil (1) inverno (1) jardim (1) já se comia qualquer coisa (1) lamechas (1) leitura (1) lengalenga (1) letras (1) links (1) livre (1) lugar (1) línguas (1) mario viegas (1) melancolia (1) memórias (1) metáforas (1) mistério (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) nobel (1) noite vida (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) obras (1) once upon a time (1) outono quente (1) pais (1) palavra (1) palavras (1) participações (1) partir (1) paz (1) pensar vida (1) penssr (1) pensáveis (1) pequeno (1) percepção (1) perceção (1) pobreza (1) português (1) post (1) praia (1) precisar (1) problema (1) procura (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) raiva (1) rap (1) realismo (1) recear (1) recordação (1) redes sociais (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) resistência (1) resposta (1) reveillon (1) ridiculo (1) risco (1) ruído (1) segredos (1) sem titulo (1) sensual (1) ser pensar (1) ser pessoas (1) silencio (1) som (1) surreal pensar (1) surrreal (1) sátira (1) sóporquesim (1) televisão (1) texto poético (1) tv (1) tweet (1) twitter (1) urgência (1) vazio (1) velhice (1) ver (1) verbo (1) verbos (1) viajar (1) vida ser (1) vidas (1) vidasubjectividade (1) visão (1) voraz (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1) ódio (1)