sexta-feira, dezembro 02, 2016

Fly something...

 

terça-feira, outubro 25, 2016

sexta-feira, outubro 21, 2016

No curso

Para so uma coisa haver em mim
Por, talvez pela sincera diminuicao
Dos dias que doem. ..

Haver roida alegria ; haver sonho
De passear pela célula do Alegre,
Do vento que emaranha pelas defesas baixas do ser...

Enquanto caminhamos por aquela calcada de todos os dias,
A ouvir o rir inocente,
O sono irrequieto de querer ser e chegar ao amanha das coisas boas que ficam,
Focadas no eterno correr para lado nenhum.

domingo, outubro 09, 2016

17h e quase 26

Desceu as escadas aos saltinhos. Escorregou na quinta, levantou-se à sétima, e quando saía do prédio, já equilibrado, sentiu os olhos a furarem com os raios de sol. Segunda-feira de manhã, com um cheiro a enxofre no ar. Virou a esquina, entrou na tasca de todos os dias. Nem se sentou, enquanto molhava os lábios naquela água castanha useira e vezeira. Voltou à rua, e falou pela primeira vez em mais que muitas horas. Disse bom dia, e caiu morto. Seria assim a causa ideal para deixar o mundo sem nunca cá ter estado.

quarta-feira, setembro 14, 2016

Poema torto

friso a solta inveja de ter resquícios de sol nos veios das unhas,
e com a manhã vem o sono de perder o frio de abraço à vida,
por fim o deixar-se perder no caminho solto do que falta....

quarta-feira, fevereiro 03, 2016

Não faz sentido

Se boletim for ao menos
Que me desprendam as
Menos imprevisíveis linhas 
De raciocínio que o
Mundo traz em inversão...


De propósitos.