segunda-feira, fevereiro 06, 2023

Auto-análise aterrorizante

 


A minha forma,

O meu estilo de escrita,

É se calhar baseado no medo,

Essa palavra sem género e recheada de roupa velha,

Que nos tolhe quando receamos o descaminho,...


Quem me diz que tudo isto, 

Um dia, 

Não vai secar, 

E a poesia acaba, 

A grande prosa que espero nunca vai chegar, 

Atemoriza tudo isto

domingo, fevereiro 05, 2023

...som respalda nas paredes

consigo ouvir o teu
choro de ressalto,
fechado nos claustros
de um local sagrado,
o som respalda nas paredes,
e complementa o desespero
inerente ao silêncio,...

uno o cansaço,
com a derrota assumida
do prazer,
e ali me sinto unido,
com o que sobrar de um coração,
alarmado,
com a tua distância



sábado, fevereiro 04, 2023

Um dia gostava de saber escrever assim

 

maria teresa horta / por dentro da alegria

 
 
Já dentro da alegria
novamente a tristeza
 
A espuma do escuro
onde os ombros se acolhem
 
Os escolhos – os escombros
o dilúvio obscuro?
 
Que tempo me importa
onde os outros não olham?
 
 
 
maria teresa horta
poesia reunida
educação sentimental
dom quixote
2009

Fui tanta coisa

Eu fui o insensível,
o provocador,
a medida incerta por
baixo da mesa,
e que perpetua a fome,
a desordem,…

passei a deixar de
ser razão,
e justificar precedentes,
com ordens,
desejos,
com reflexões,
passos,
com insuficiências diversas,…

fui tanta coisa,
e agora rasuro,
uma folha imprudente,
e escurecida



sexta-feira, fevereiro 03, 2023

ele acusou-os

ele acusou-os. havia uma mesa de ébano, fora do comum. estava posta para refeição, com pratos de alumínio envelhecidos, os talheres para prato de carne, e copos que pareciam ser de vinho. ele acusou-os, porque não se vergava a solidões impostas. e um livro, apenas um livro. encomendava a alma a qualquer coisa de escurecido, de cada vez que o folheava. e culpava-os. sentou-se para compor a respiração. uma dor saltitante, resumida a odor de morte, palpitava-lhe por todo o corpo. e via-os sorumbáticos, a mirá-lo com uma frieza metálica. via-os inocentes, mas tão tristemente culpados do desânimo. conseguiu repor a vontade, o desejo de caminhar sofregamente. a rua inevitavelmente pintava-se do tom metálico do céu. e ouviu-os mesmo assim a lamentarem o sol. as nuvens que desenrolam um carpir de mágoas separadas. ele acusou-os. e dormiu sobre o silêncio recebido. quando só o silêncio com ele partilhava aquele fim de mundo



quinta-feira, fevereiro 02, 2023

Entre as letras

 


um poema no qual prometo,

Pelo menos aspiro a conseguir desordenar o correto,

E continuar a pensar que assim acho sentido nas coisas menos sensiveis,...


Vou tentar até escrever entre as letras,

Nos espaços minúsculos em que só o ar consegue aspirar a um nome,

Aí talvez ache o formato obscuro das ideias,

E desaconselhar-me assim de ideologias


quarta-feira, fevereiro 01, 2023

Fevereirando a 6 de setembro de 2022

 


Não escrevo sobre Deus,

Respeito porque o conheço 

Admito que houve alguém que se disse seu filho,

Mas a vida não se compadece com o sobrenatural,...


Deito-me a pensar nisso,

E acordo desconfortável com a finitude até do suspiro de ilusão,

Que me reconduz ao desejo iludido de que tudo se reinicia,

Porque tem um propósito,...


Acredito que não tenha,

Mas prossigo a fingir que sim

terça-feira, janeiro 31, 2023

Erros lexicais

 E riu-se,

Disse querem ilusão?,
Enquanto o diabo esfrega um olho,
Ele próprio retorceu os olhos,
Fez das coisas simples novidades,
E começou o caminho para a redenção,...

Consistia em propositadamente deturpar a escrita,
Dizer amor com erros lexicais e de dicção,
E propor o mar,
Quando os ouvintes rogavam por terra seca e inconsequente


segunda-feira, janeiro 30, 2023

Mesas postas de luz

os pássaros de
todas as espécies
abriam o céu,
de par em par,
como que desejassem
a bondade,
felicidades para quem partia,
e demonstrava nos olhos
que já não voltaria,....

ao longe sucessões
de sons metálicos
rasgavam as nuvens,
antevendo uma madrugada de desarranjo,...

mas isso não atenuou
os passos,
evitava,
de longe em longe,
o que pudesse rasgar
o caminho,
e queria lá chegar,
onde o som abrisse
as pernas,
e se tornasse a mulher de
todos os amores




domingo, janeiro 29, 2023

é uma lembrança

é uma lembrança,
tudo representa tanta miséria,
como uma manhã de chuva,
que te viola a integridade,...

é para lembrar,
que os dedos percorrem
um sentido definido,
e impedem a luxúria,
o desejo incontido,   
polimerizado,
na pequena partícula do ser,
e da culpa,...

é uma lembrança,
que adormeça assim

Etiquetas

Poesia (1257) Vida (1096) Surreal (509) poemas (503) poema (472) pensar (371) escrita (328) Pensamentos (212) poesias (202) Escrever (196) Introspecção (196) Homem (194) abstrato (161) Textos (117) prosa (101) Reflexão (94) introspeção (93) autores (91) Portugal (86) Sem Título (84) Um dia gostava de saber escrever assim (84) imagem (84) Sonhos (78) youtube (75) musica (71) Tempo (69) Passado (68) Amor (63) Contos (61) Absurdo (59) Literatura (59) ser (59) video (54) Sórdido (51) Política (48) tristeza (43) texto (38) pensamento (37) imagens (36) Ironia (35) foto (35) História (34) razão (32) gif (31) introspecao (30) rotina (30) Fantasia (29) Desilusão (28) Recordações (28) recordar (27) Música (26) Humor (25) cinema (25) Dedicatória (22) Ficção (21) Memória (21) desespero (21) Morte (20) Divagações (19) existência (19) fotos (19) lisboa (19) Comiseração (18) dúvida (18) real (17) refletir (17) Desejos (16) Inatingivel (16) Regresso (15) pessoal (15) Tumblr (14) irreal (14) quotidiano (14) solidão (14) videos (14) ideias (13) Pelo Menos (12) Religião (12) Rimas (12) Texto # (12) Vídeos (12) escritores (12) sujeito (12) viver (12) Menina perfeita (11) abstração (11) autor (11) giphy (11) noite (11) nonsense (11) presente (11) saudade (11) Natal (10) sentimentos (10) sonhar (10) 'Depois de almoço' (9) escritaautomática (9) reflexao (9) sombrio (9) sonho (9) Mundo (8) ausência (8) blogue (8) curtas (8) fotografia (8) ilusão (8) poetas (8) relacionamentos (8) surrealista (8) Dia Mundial da Poesia (7) Suspense (7) Viagens (7) aniversário (7) cidade (7) coisas estúpidas (7) futuro (7) livros (7) sentir (7) subjetivo (7) vídeo (7) Discurso de (6) Diálogo (6) Homenagem (6) aniversario (6) arte (6) datas (6) desnorte (6) filmes (6) gatos (6) lembrança (6) pessoas (6) politica (6) prosa poética (6) qualquer coisa (6) racional (6) trabalho (6) adeus (5) belo (5) ciidade (5) comédia (5) concursos (5) depressão (5) descrição (5) do nada (5) dor (5) espaço (5) familia (5) ideia (5) imaginário (5) linguagem (5) luxos importados (5) língua (5) meditação (5) paginas partilhadas (5) strand of oaks (5) Actualidade (4) Ali antes do almoço e a umas horas do sono (4) amargo (4) animais (4) crossover (4) curtos (4) desejo (4) dia (4) espera (4) eu (4) família (4) festas (4) filosofar (4) interrogação (4) intervenção (4) medo (4) mulher (4) poetar (4) razao (4) realidade (4) social (4) subjectividade (4) terra (4) Gótico (3) Poemas de enternecer (3) Vício (3) auto-conhecimento (3) beleza (3) breve (3) colaborações (3) conformismo (3) conhecer (3) conto (3) conversas (3) curto (3) céu (3) destino (3) erotismo (3) evento (3) festa (3) filosofia (3) fim (3) internet (3) lamento (3) lamentos (3) liberdade (3) loucura (3) mensagem (3) obscuro (3) outono (3) país (3) pessimismo (3) popular (3) porque sim (3) páginas partilhadas (3) riso (3) sem sentido (3) sentimento (3) silêncio (3) tarde (3) viagem (3) violência (3) é meu (3) 'abrir os olhos até ao branco' (2) 'na terra de' (2) América Latina (2) Denúncia (2) Fernando pessoa (2) Poemas música (2) Poesia abstrato (2) Porsia (2) alegria (2) angustia (2) ano (2) ao calhas (2) armagedão (2) atualidade (2) campo (2) certeza (2) condição humana (2) considerar (2) decepção (2) desconexo (2) discurso (2) dissertar (2) efeméride (2) existir (2) fado (2) falar (2) falhanço (2) felicidade (2) frase (2) hate myself (2) hesitações (2) ilusao (2) imaginar (2) indecisão (2) instrospeção (2) insulto (2) interior (2) irracional (2) jogo de palavras (2) jogos de palavras (2) leituras (2) lembrar (2) ler (2) lingua (2) link (2) luta (2) manhã (2) monólogo (2) nomes (2) parvoíces (2) passeio (2) perda (2) personalidade (2) pictures (2) pintura (2) psicose (2) revolta (2) ridículo (2) rural (2) saudades (2) sem tema (2) sensibilidade (2) sentidos (2) sexo (2) simples (2) sociedade (2) statement (2) subjetividade (2) tradicional (2) versos (2) vivência (2) Africa (1) Anuncio (1) Ferias (1) Gig (1) Haikai (1) Inatingiveis (1) Justiça (1) Livro (1) Parabéns (1) Poesia escrita lisboa verão (1) Poesiaa (1) Poeta (1) Prosa cinema (1) Teatro (1) Universo (1) acomodações do dia (1) acrescenta um ponto ao conto (1) admissão (1) agir (1) alienação (1) amizade (1) animado (1) anseio (1) ansiedade (1) antigo (1) antiguidade (1) análise (1) anúncio (1) arrependimento (1) artistas (1) assunto (1) ausencia (1) blackadder (1) blog (1) brincadeira (1) canto (1) cartas (1) celebração (1) choro (1) citações (1) coletâneas (1) comida (1) conceito (1) conjetura (1) contribuições (1) corpo (1) cruel (1) crónica (1) cultura (1) curta (1) cálculos (1) desafio (1) desanimo (1) descoberta (1) desenho (1) despedida (1) dia da mulher (1) dialogo (1) discriminação (1) distância (1) divulgação (1) doença (1) duvida (1) e tal (1) eletricidade (1) embed (1) escreva (1) escrita criativa (1) estetica (1) estrangeiro (1) estranho (1) estupidez (1) estória (1) estórias (1) exercício (1) explicar (1) fatalismo (1) feelings (1) filme (1) fim de semana (1) final (1) fofinho (1) frases (1) futebol (1) guerra (1) haiku (1) horuscultuliterarte (1) humano (1) idade (1) imprensa (1) inatingível (1) indecente (1) individualidade (1) infancia (1) infantil (1) inglês (1) iniciativas (1) inutil (1) inverno (1) jardim (1) já se comia qualquer coisa (1) l (1) lamechas (1) leitura (1) lengalenga (1) letras (1) links (1) livre (1) lugar (1) luz (1) línguas (1) mario viegas (1) melancolia (1) memórias (1) metáforas (1) moods (1) movies (1) (1) nada (1) natureza (1) novidade (1) não sei se um dia gostava de saber escrever assim (1) números (1) once upon a time (1) outono quente (1) pais (1) participações (1) pensáveis (1) pequeno (1) percepção (1) pobreza (1) português (1) post (1) praia (1) precisar (1) promoção (1) provocação (1) proximidade (1) prémios (1) qualquer coisa antes de almoço (1) quandistão (1) quarto esférico do fim (1) questionar (1) raiva (1) rap (1) realismo (1) recear (1) recordação (1) redes sociais (1) remorsos (1) renascer (1) residir (1) resposta (1) ridiculo (1) risco (1) ruído (1) sem titulo (1) som (1) surreal pensar (1) sátira (1) televisão (1) texto poético (1) tv (1) tweet (1) twitter (1) urgência (1) vazio (1) velhice (1) verbo (1) vida escrita (1) vidas (1) vidasubjectividade (1) visão (1) voraz (1) voz (1) vuday (1) vulgar (1) África (1) ódio (1)